Profissionais

Clínicas

Academias

Farmácias

Óticas

Produtos e Equipamentos

Laboratórios

Serviços Complementares

 

 

 

barriga
DOR ABDOMINAL
 

 
Dr. Adnan Georges El Rassi
Gastroenterologista - Clínico e Cirúrgico

     A dor abdominal é um assunto muito amplo em medicina, permitindo a alguns autores editarem livros com centenas de páginas a respeito. No entanto, é possível simplificá-lo. Apresentaremos algumas noções básicas e úteis ao público em geral.

     Em primeiro lugar, para melhor compreensão do leitor, exibiremos abaixo cinco figuras, mostrando a divisão topográfica,  sendo que a última  (fig.5)  revela a disposição dos órgãos no interior do abdômen.

Fig. 1 - Divisão do abdômen por uma linha horizontal, passando pelo umbigo, originando:

a - andar superior

b - andar inferior
 

   

Fig. 2  - Divisão do abdômen por uma linha vertical, passando pelo umbigo, originando:

a - hemiabdômen  direito

b - hemiabdômen esquerdo 

   

Fig. 3 - Divisão do abdômen por duas linhas cruzando o umbigo, uma vertical e outra horizontal, originando quatro quadrantes:


-

a - quadrante superior direito
- Parte do intestino grosso
- Parte direita do fígado
- Antro gástrico (parte distal do estômago)
- Vesícula biliar
- Rim e Supra-renal direito
- Duodeno
- Parte do pâncreas

b - quadrante inferior direito
- Apêndice
- Ovário direito
- Tuba uterina direita
- Parte do intestino grosso
- Ureter direito
c - quadrante superior esquerdo
- Rim e supra-renal esquerdo
- Baço
- Parte do pâncreas
- Parte esquerda do fígado
- Estômago (maior parte)
- Parte do intestino grosso
d - quadrante inferior esquerdo
- Tuba uterina esquerda
- Ovário esquerdo
- Parte do intestino grosso
- Ureter esquerdo
 

Observações:
 

- O intestino delgado ocupa a maior parte do andar inferior do abdômen na fig. 1.

- O útero, a bexiga, a próstata e vesículas seminais ocupam a região hipogástrica da fig. 4


 
 
Fig. 4 - Divisão do abdômen em nove regiões:
a - Hipocôndrio direito

b - Epigástrio
c - hipocôndrio esquerdo
d - Região flanco direito
e - Região umbilical (mesogástrica)
f - Região flanco esquerdo
g - Fossa ilíaca direita ou região 
     inguinal direita
h - Hipogástrio
i - Fossa ilíaca esquerda ou região inguinal esquerda
    
Fig. 5 - Disposição dos órgãos dentro do abdômen ( sexo feminino):

Observação - Em caso de abdômen de uma pessoa do sexo masculino, esta é a localização da próstata e das vesículas seminais:
 


O PERITÔNI
O

Muito se fala nesse termo, peritônio.  No entanto, pouco se sabe, popularmente, a respeito. Abaixo apresentaremos algumas definições:

Peritônio: camada fina que envolve a maior parte das vísceras abdominais.

Órgãos intra-peritoniais: órgãos envolvidos pelo peritônio (estômago, intestino, fígado, baço, apêndice, vesícula, útero, ovários, tubas uterinas).
Órgãos extra-peritoniais: fora do envolvimento peritonial (pâncreas, rins, ureteres, bexiga).

Peritonite: infecção e inflamação do peritônio.

Defesa e irritação peritonial: dor e endurecimento do abdômen em região com peritonite.


 


LOCALIZAÇÕES DE DORES

Sabemos que as dores se manifestam em diversas regiões do corpo. É possível diagnosticar:   

Dor local:
É a dor que surge no mesmo ponto ou bem próximo da região que a originou. Ex: cólica biliar no hipocôndrio direito.  

Dor referida:
É a dor que se faz sentir em ponto distante do órgão que a originou. 
Ex: a dor da apendicite aguda, que surge na região epigástrica, em sua fase inicial.

Dor irradiada:
É a dor que irradia do ponto patológico para outra região. 
Ex: dor do fígado e vias biliares, que irradia também para o ombro direito.

 


TIPOS DE DORES

Sabemos também que as dores apresentam manifestações sintomáticas de formas  diversas. Sendo assim, podemos identificar:

Queimações
Ex. gastrite e úlceras gastroduodenais.

Cólicas
- intestinal ( Ex: gastrenterite infecciosa aguda, causada por alimentos contaminados)  
- renal  (
Ex: cálculo urinário) 
- biliar (Ex: cálculo biliar)
- uterina (Ex: cólica menstrual)

Dor Contínua
- dor tumoral
- dor por falta de irrigação de sangue
 
   - Obstrução arterial (Trombose Mesentérica = infarto intestinal)
   - Torção e formação de nó, que podem ocorrer no intestino ou no ovário.


 


INTENSIDADE DAS DORES
Quanto à intensidade, podemos diagnosticar:

Dor leve e moderada:
- Verminose
- Psicossomática
- Aderência
- Hérnias externas (inguinais e umbilicais) não complicadas
- Infecção gastrintestinal (estômago e intestino) aguda simples
-Síndrome do intestino irritável (SII)

Dor intensa
- úlcera gastroduodenal perfurada
- infecção e abscessos abdominais
- hérnias internas
- aneurisma da aorta
- obstrução dos vasos do intestino (trombose)
- torção do intestino ou do ovário com conseqüente isquemia
- infecção gastrintestinal grave (alimentos contaminados)
- cólica renal e cólica ureteral
- cólica biliar                                                                                   
- pancreatite aguda e crônica avançada
- hematomas traumáticos (fígado, baço, retro peritonial)


 


ASSOCIAÇÃO DA DOR ABDOMINAL COM OUTROS SINAIS E SINTOMAS

Com distenção abdominal – Geralmente, vem associada ao vômito e parada de eliminação de gases e fezes  
- Ex: obstrução do intestino por tumor, nó e aderências

Com vômitos pretos ou vômitos de sangue
- Ex: úlceras ou tumores do esôfago, estômago e duodeno

Com evacuação preta e/ou sangüinosa
- Ex: úlcera ou tumores do esôfago, estômago e duodeno
        tumores do intestino grosso
        divertículos sangrantes

Com diarréia crônica
- Ex: doenças inflamatórias do intestino (Crohn e Reto colite ulcerativa)

Com emagrecimento e perda de apetite
- Ex: tumores malignos (câncer)

Com febre
- Ex: apendicite aguda, diverticulite aguda, úlcera gastroduodenal perfurada, tuberculose peritonial, disenteria bacilar por alimentos contaminados, infecção aguda da vesícula e vias biliares, hepatite, pancreatite aguda infectada, perfurações intestinais, abscessos, peritonite aguda, perfuração uterina por curetagem mal sucedida, infecção aguda da tuba uterina, infecção aguda do ovário, infecção aguda do baço, nefrite aguda e infecção urinária grave

 


     Sabe-se que cada uma destas patologias tem as suas características diagnósticas, e cabe somente ao médico conduzi-las e tratá-las, pois podem oferecer um risco potencial à vida do paciente.

     Em algumas situações, o médico assistente não consegue encontrar a causa da dor abdominal, apesar de realizar todas as pesquisas diagnósticas mais modernas.

     Nesses casos, temos que lembrar então das dores psicossomáticas e nevrálgicas.

     Em outras situações, o abdômen é considerado por alguns médicos a ''caixa preta'', pois só abrindo a cavidade abdominal poderemos descobrir a causa da dor. Essa operação, para fins diagnósticos e conseqüente tratamento, os cirurgiões a denominam ''Laparotomia Exploradora''.

     Lembramos que estas são algumas orientações para que o leitor tenha uma idéia superficial sobre o tema '' Dor Abdominal'' e que para um diagnóstico e tratamento correto das enfermidades abdominais é indispensável a participação precoce de um profissional médico.

     Por fim, a DOR é uma dádiva da natureza. Temos que valorizar e respeitar a sua ocorrência; não devemos ignorá-la ou mascará-la por analgésicos e sedativos antes de descobrir a sua causa.


 
 clique no nome para acessar o cadastro profissional 
                                                                           
Dr. Adnan Georges El Rassi